Espiritualidade
  • Todos
  • Making of
  • Depoimentos

Depoimentos, Espiritualidade »

[10 fev 2011 | Sem comentários | 5.505 visualizações]
Nós nascemos para nos formar

Para dar início na elaboração do roteiro para o episódio A Espiritualidade e a Sinuca, escrito por José Roberto Torero e Marcus Aurélios, foi utilizado como base o depoimento de Mario Sérgio Cortella, educador, filósofo e autor de diversos livros sobre educação.
Em um dos trechos do seu depoimento, Cortella fala da nossa formação e, discorda da frase que diz “quanto mais uma pessoa vive, mais velha ela fica.” Em cima deste argumento ele dá o seguinte depoimento:

Mario Sérgio Cortella: “É preciso lembrar que nós nascemos para nos formar. Ninguém nasce … leia mais

Depoimentos, Espiritualidade »

[11 jan 2011 | Sem comentários | 1.936 visualizações]

Este questionamento é o que nos propõe Mário Sergio Cortella, consultor para o documentário Espiritualidade. Para ele, o modo como a sustentabilidade socioambiental se coloca é recusado, afastado, onde negamos a cessação da vibração da vida na sua múltipla possibilidade, isto é, na sua capacidade de fertilidade.
Para Cortella, todas as vezes que admitimos de alguma maneira a desertificação da vida, a esterilização da nossa capacidade de existência, seja dos humanos, seja do conjunto da vida, nós estamos quebrando, exatamente, essa possibilidade de fertilidade.
A partir desse ponto de vista a ideia … leia mais

Depoimentos, Espiritualidade, Vídeo »

[5 jul 2010 | Sem comentários | 10.185 visualizações]
Capacidade de Cuidar – Mario Sergio Cortella

Mario Sergio Cortella, nosso consultor para o documentário Espiritualidade, joga luz na ideia de capricho e fertilidade.
Fertilidade vem do latim felix – que também compartilha paralelo com a palavra felicidade. Cortella nos diz que o conceito de fertilidade não é apenas “reproduzir outros humanos”, mas vai além para significar “impedir que a vida cesse”.
Retomando no vídeo o filme Dersu Uzala, do diretor japonês Akira Kurosawa, Cortella cita “E as outras pessoas quando chegarem – como elas farão?”.  A provocação nos atinge em cheio: estamos gastando mais do que … leia mais